Reunião define agenda de lutas da Frente Sergipana Pela Inserção do/a Assistente Social e Psicólogo/a na Educação

 

fetam 3.png

 

Com o objetivo de discutir a incidência política junto a parlamentares e gestores públicos, diálogo com entidades que atuam no campo do controle social e o desenvolvimento de ações pedagógicas junto à sociedade a respeito da importância da inclusão de assistentes sociais e psicólogos na rede básica de educação em Sergipe foi realizada na quinta-feira, 25, a reunião da Frente Sergipana Pela Inserção do/a Assistente Social e Psicólogo/a na Educação.

 

O debate que aconteceu no ambiente virtual e aprovou o calendário de atividades de mobilização e incidência política, que marcará as próximas semanas, contou com a participação de 48 representantes de entidades.

“A reunião foi bastante produtiva, pois os diversos sujeitos que compõem a frente construíram coletivamente um calendário de lutas em defesa de um objetivo em comum: lutar pela implementação da Lei 13.935/2019”, ressaltou o Conselheiro Marcus Paulo Cardoso Argolo que representou o CRP19.

A reunião que colocou em pauta questões como o contexto político e educacional do Brasil e do Estado de Sergipe, problematizando a política de educação e o modelo de financiamento da educação, também debateu sobre papel significativo da psicologia e do serviço social no contexto escolar.

 

Presenças

Participaram da reunião, além de profissionais da Psicologia e do Serviço Social e representantes dos respectivos Conselhos, Sindicato dos/as assistentes sociais (SINDASSE), Sindicato dos Psicólogos de Sergipe (SINPSI), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal (FETAM), Coletivo de Assistentes Sociais Resistência e Luta, Sindicato dos Trabalhadores da Educação (SINTESE), Movimento Nacional de Direitos Humanos (MNDH), Centro Dom José Brandão de Castro (CDJBC), Instituto Luciano Barreto Jr, Coletivo de Professores Paulo Freire, Coletivo AFRONTE, Levante da Juventude Popular, Programa de Pós Graduação de Serviço Social da UFS, Grupo de Estudo Pesquisa de Serviço Social (GEPSSO), Departamento de Serviço Social da UFS (DSS/UFS), Coordenação de Curso da Psicologia da Faculdade São Luís, Unidas-trans, Fórum Estadual de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (FDCA), Sindicatos dos servidores públicos municipais de Campo do Brito (Sindbrito), Sindicato dos servidores públicos municipais de Poço Verde (SindPoço). Além, das vereadoras Linda Brasil e Ângela Melo, do mandato do deputado estadual Iran Barbosa e o mandato do deputado federal João Daniel.

 

Frente Sergipana

A Frente Sergipana pela Inserção do/a Assistente Social e Psicólogo/a na Educação foi criada no dia 04 de fevereiro, com o objetivo de implementar a legislação que dispõe sobre a inserção do Serviço Social e da Psicologia, no âmbito da educação básica. Em uma construção coletiva entre entidades sindicais e conselhos de classe vinculados ao Serviço Social e à Psicologia, a proposta é que a Frente seja um espaço de incidência política para articular com os gestores a implantação da Lei 13.935 em todo o Estado. A partir de uma mobilização, a Frente buscará canais de diálogo com Governo do Estado, Prefeitos, Secretários de Educação, Deputados Estaduais e Vereadores a fim de fazer valer a legislação que vigora no Brasil desde 2019, mas que, até o momento, não foi implantada no Estado e nos municípios sergipanos.

 

Com informações FETAM/SE

Redes Sociais